Palavras Expelidas – On Festival

veja mais sobre o trabalho do candidato

galeria de imagens

material do projeto

Eu sou um garoto de 16 anos que acredita no potencial da arte para atingir o coração das pessoas. Alguns conseguem fazer isso com a música, outros com as artes plásticas. Eu acredito, que além de ser a minha forma de libertação, a escrita de poesias também é a minha forma de atingir os mais diversos públicos, por meio do choque. Os poemas de amor, de cunho social, de cotidiano, todos eles florescem em momentos repentinos, como feras que se libertam de uma gaiola para atingir o leitor. Eles surgem do nada e, assim como surgem, vão. E talvez esse seja o meu maior empecilho atualmente: não saber controlar os momentos que tais poemas são libertos.

Eu quero chegar nas mais diversas realidades possíveis, para que eu possa de alguma forma transformá-las. Das mais vulneráveis às mais privilegiadas. Ninguém está isento de uma necessidade de transformação social, seja por meio da conscientização sobre seu papel enquanto privilegiado e/ou proletário, seja por meio da esperança de que um futuro melhor possa vir a acontecer.

o que motiva Eduardo Nascimento Gonçalves?

Palavras Expelidas nasce da união de duas coletâneas de um jovem de 16 anos que praticamente vomitou seus poemas. Minhas paixões e minha vivência diariamente me incentivam a escrever mais, mais e mais, ainda que de uma forma um tanto crua. Palavras Expelidas é uma antologia com poemas sobre cotidiano, sobre amor, sobre causas, mas sobretudo, é uma antologia que fala muito de mim, um jovem preto, LGBTQIA+ e adolescente. É uma mescla de amor e dor, angústia e motivação, felicidade e tristeza.

realização